Brasão

brasao

Brasão da Arquidiocese de Salvador

O brasão original da Arquidiocese de Salvador foi resgatado e em julho de 2011 voltou a estampar os documentos oficiais da Arquidiocese. A descoberta do brasão se deu logo depois da nomeação de Dom Murilo Krieger, scj como arcebispo de Salvador, através do especialista em heráldica, que é a arte de desenvolver brasões, Victor Hugo Carneiro Lopes. Aluno do Irmão Paulo Lachenmayer, monge beneditino a quem é atribuída a criação do brasão da Arquidiocese de Salvador, Lopes tinha uma cópia do material e a apresentou a Dom Murilo.

Em um manuscrito de 1955, Ir. Paulo, o autor do brasão, o descreve assim: “Brasão de Armas da Arquidiocese Primacial do Brasil, “SSmi. Salvatoris”.. Escudo: Partido de azul e ouro, com um mundo entre-cambado. Insígnias: Mitra, cruz patriarcal e báculo. Comentário: Na terminologia heráldica, entende-se por mundo um globo com um cinto, e um arco na parte superior, rematado com uma cruzeta, que é o símbolo do Salvador do Mundo. Como tal, já foi aplicado nos pórticos laterais da antiga Sé primacial. Salvador, 27 de junho de 1955 – Ir. Paulo Lachenmayer, o.s.b.”

O uso de brasões remonta à Idade Média. Através de um brasão se expressam valores, ideias e todo um modo de ser. Sua finalidade é semelhante às modernas logomarcas: identificar uma pessoa ou instituição.